domingo, novembro 12, 2006

Crónicas Nocturnas # 101

Na quinta lá regressei á minha habitual residência semana no ADN, após interregno de uma semana, e foi um regresso bastante animado, diga-se de passagem...eheheh. Comecei, como tem sido habitual, numa toada mais Disco, com coisas como Colonnel Dubbage de Mudd (ok, é mais Dub que Disco, mas prontos...), 24 Hours From Culture dos New Musik, Stand Up de Nexus, There`s A Drink In My Room And I Need A Hot Lady de Lindstrom, ou as remistura de Prins Thomas ao Bodies de Todd Terje e ao Doin` It de Putsch 79 (esta sob o pseudónimo Major Swellings). Entretanto, com a chegada de umas fãs minhas (eheheheh), lá tive que mudar o registo um pouco mais cedo que o habitual, e não existe melhor malha de transição de um regime Disco para um regime mais Electro/Acid/Minimal/Maximal/Whatever...que o Good As Gold do Tiga...eheheh. A seguir, e até ao fim da noite, a casa foi ficando mais composta, e, consequentemente mais animada. E até tive direito a ver a côr do "soutien" de uma ou outra fã (eheheh). Simões, não é só contigo que estas coisas acontecem...eheh. Entretanto, fui passando coisas como Secret Base de Radio Slave, Kill The Disco de Van Rivers, Caper de Cass & Mangan, Intro de Alan Braxe & Fred Falke, Far From Home (Speed Of Sexor Reprise) de Tiga, a remistura de D. Ramirez ao Yeah Yeah dos Bodyrox, Motorcycle de Alex Gopher, Samba de Tomboy, a remistura de Sebatien Leger ao Blow de Don Diablo, Release de Chris Lake, Jupiter Room de Digitalism, tendo finalizado a sessão com o Musique dos Daft Punk...noite muito porreira lá no ADN.

Na sexta comecei a noite no Baco, com o Foca a passar som, tudo numa onda entre o Rock mais alternativo e algumas cenas de teor mais Funk pelo meio...muito agradável.

A seguir fui para o Tribux, onde estava o Cid a passar som, dentro de uma onda entre o Funky Electronic-House, Minimal e Acid, com uns clássicos á mistura. Muito fixe. Tribux animadito.

Acabada a sessão do Cid, dirigi-me para o ADN, onde estava o Viegas a passar som. E foi uma sessão muito boa, bem melhor que a de há umas semanas atrás. Muito "funky", muito "groovy", muito eclética, com surpresas pelo meio...sim senhor, gostei muito. Breakbeat, Funk, Electro, Hip-Hop e até Rock, tudo a fluir muito naturalmente e sempre com um balanço muito "funky", a pedir para nos mexermos freneticamente. Desta vez também apareceu bem mais pessoal do que na sessão anterior, o que também deverá ter servido de estímulo extra ao Viegas, ou seja, ADN ao rubro, com o pessoal bastante animado...eheheh. Muitos temas desconhecidos, e um "bootleg" muito engraçado que misturava o Welcome To The Terrordome dos Public Enemy com o Killing In The Name Of dos Rage Against The Machine. E, como sempre, curti ouvir a remistura ao 24 Hour Party People dos Happy Mondays...eheheheh. E o final foi ao som de Bob Marley...muito bom.

No sábado não estava com grande vontade de sair, e deixei-me ficar por casa...eheheh.

8 comentários:

Jorge disse...

Muita fixe este blog!!!Nem de propósito estive em Setúbal na sexta, pois vim de propósito a um jantar de uma amiga minha, e acabei a noite no ADN, e o som estava mesmo á maneira. Pena foi antes, devido á insistência de muitos dos convivas, ter estado num sítio que era o Avenue, onde a música até não era desagradável de todo, mas a clientela era muito antipática. Tudo com um ar mal-disposto, sobretudo elas, de narizinho empinado, todas muito armadas em boas, estilo pseudo-tias armadas ao pingarelho. O mais certo é nem terem onde cair mortas. E no ADN estava toda gente alegre, bem disposta, tudo a curtir, nada de manias. Soube mesmo bem, depois de ter aturado aqueles "zombies". Porque é que esta gente sai á noite, se não se diverte? Fiquem mas é em casa, em vez de fazerem figuras tristes.

Um fan do blog disse...

Jorge, vale a pena ler esta crónica, por um elemento, em tempos escritor do blog: http://p0werup.blogspot.com/2004/12/pop-pseudofashion-em-revista-2.html

:)

Anónimo disse...

devias ter vindo avisado de que o avenue é o sitio das gajas mal f...das, e dos gajos que nem f..., nem saem de cima.
só tótós...
mister simon.

Roger Urb disse...

Sabado perdeste a oportunidade de assistir ao vivo aos grandes senhores do disco e funk, Kool & The Gang. Foi uma noite para não mais esqueçer, ouvir o Get Down On It, Holywood Swinging, Jungle Boogie, Open Sesame, Ladies Night, Too Hot,Cherish e o Celebration e mtos mais temas ao vivo.
Só tive pena foi de nao ter uns calendarios para oferecer ao pessoal que andava la de perucas cor de rosa, para eles se aperceberem que ainda falta uns meses para o Carnaval.
Fiz uns filmezitos com a camera, assim que me der ao trabalho de os converter para um tamanho aceitavel, e fazer upload para o youtube, mando-te os links para podermos partilhar com a comunidade.

Abel Santos disse...

É verdade... Grande noite de Disco/Funk. De grande valor foi a actuação da banda portuguesa de tributo ao Stivie Wonder. Grandes clássicos como por exemplo: I Just Call To Say I Love You, Isn't She Lovely, I Wish, Part-Time Lover, etc...
Os Chic desiludiram no sentido em q da banda original só sobrou Norma Jean e Luci Martin. O resto da banda era composta por musicos brancos originários de vários paises. Grande groove mas a cor da pele influiu na performance. Grandes clássicos Chic como Le Freak; My Frobbiden Lover; Good Times; I Want Your Love, Everybody Dance, as Sister Sledge com We Are Family e The Greatest Dancer e outros Hits de Disco Sound como Upside Down, I Will Survive, Boogie Oogie Oogie e até um tema latino da Glória Stefan. Muito Bom mas muito Hit Single (podiam ter tocado algum disco mais underground).
Os Kool & The Gang partiram todos os q estavam á espera duma banda de funk. Tocaram as charopadas e grandes malhosas do melhor funk jazz á lá James Brown: Open Sesame, Got Down On It, Celebration, Cherish, Hollywood Swingin', etc... É pena o público não ter reagido tão bem como aos Chic.
Nota fraca para os dois DJ's que assiti. O 1º, no intervalo da banda portuguesa e no intervalo dos Chic, só tocou os temas mais boleiros e "afoleirados" do Disco Sound: Rock The Boat, The Hustle, Born To Be Alive, etc... O 2º era o DJ Paulo Roque responsável pela After Party, repetiu vários temas (Upside Down) e tocou muitos bolos
duma maneira um pouco cansativa e sem mestria na mistura. É pena.
Mas o balanço final foi muito positivo!
Pó ano há mais !!!

Electrobot disse...

Já vi que o pessoal curtiu á fartazana a noite Disco-Sound...eheheh. Roger, quando puderes, partilha aí os vídeos com a malta...eheheh.

Jorge, para a próxima tenta convencer o pessoal a começar a noite no Baco, no Tasco do Kaneco, no Tribux, no La Bohémme ou no Bombar, que o pessoal aí tá sempre bem-disposto...eheheh.

Carlos Coelho disse...

Oi people. Tenho visto bués de coments sobre a musica k passam na avenida e nos bares em geral. Apesar de n ser cliente do Clube do Rio, este s´sbado fui lá e talnão foi o meu espanto quando na sexta feira ouvi durante toda a noite disco sound e rock do bom TODA A NOITE !! Porque pensei k era uma festa temática, voltei lá no sábado e tal não foi o meu espanto quando o som que passaram era rigorosamente funk, disco e rock.....fikei mto contente, pois recordei as noites do Bairro Alto, do 2001, de Galapos. Pk nunca disseram aki nas vossa crónicas k esse era o som do bar/esplanada do club do rio ?? daiquiris, mojitos, caipirinhas, bom som....Dass e ainda dizem k a noite em Setubal está uma merda....Sabem k mais ?? proximo fim de semana tou lá.

Electrobot disse...

Amigo Carlos, como ainda não tive oportunidade de ir ao Olds Cool (que é como se chama agora a parte de cima do Clube do Rio), é óbvio que não farei uma crónica acerca de um local onde nunca estive...mas prometo tentar lá ir o mais brevemente possível. No entanto, até já li comentários aqui no blog a dizer que o som lá no Olds Cool fazia lembrar o que se costumava ouvir no Seagull, portanto, acho que não era assim nenhum grande segredo...