domingo, dezembro 03, 2006

Crónicas Nocturnas # 104

Na 5ª eu e o Henri dirigimo-nos para o ADN, com o intuito de montarmos o nosso material (na verdade, mais o material do Henri, que ele usa o Final Scratch). Tambe´m lá estavam os Indy a montarem o material deles, pois iriam dar um concerto antes do nosso set. Montado o que havia a montar, fomos um bocado ao Tribux, onde estava o Pedro Tiago a passar som. O Tribux estava engraçado, com o Pedro a passar as sonoridades mais Minimal/Acid mais típicas nele, e ainda me mostrou as novas aquisições lá na Flur...eheh. A seguir ainda fomos dar uma volta á Avenida, a ver como estava. Apesar de achar o ambiente melhor desde a última vez que por lá tinha passado, ainda a achei pouco animada, sem a alegria que a caracterizava noutros tempos (mas verdade seja dita que uma véspera de feriado em Setúbal nunca é um grande indicador da realidade da noite...), excepto ao pé do Dose Certa e do Afficion (esses estavam bem animados, tanto dentro como fora...). Durante a nossa voltinha encontrámos o Del Costa e mais pessoal amigo, e por ali ficámos na conversa, até ser horas de voltar para o ADN.

Chegados ao ADN, já os Indy tinham começado o concerto, que foi bastante giro, ao nível do anterior que já tinha visto deles há mais ou menos um ano, numa onda que fez lembrar bandas como Smashing Pumpkins, Alice In Chains ou uns Soundgarden mais calmos. Já lá estava bastante pessoal a curtir o concerto. Acabado o concerto, demos início ao nosso set. Comecei com a remistura de Headman ao Standing In The Way Of Control dos Gossip, tema que pareceu agradar á maioria dos presentes, e que deu início á festa. Com o passar do tempo, o ADN foi ficando bem mais cheio, com o pessoal a curtir bastante os temas que passámos. Passámos coisas como a remistura de Andrea Doria ao Give Me Love dos Coburn, Lonely By Your Side de Azzido Da Bass, a remistura de Stanton Warriors ao Where`s Your Head At dos Basement Jaxx, The Max de Felix Rennefeld, The Club (Version 1) de Marc Romboy & Blake Baxter, Push Up dos Freestylers, a remistura de Spiritcatcher ao Starwaves de Kirk Di Giorgio, Le Grand Sommeil de Sweetlight, a remistura de Chris Lake ao Discopolis de Lifelike & Kris Menace, I Need de Marc Romboy & Robert Owens, a remistura de Abe Duque ao Who Needs Sleep Tonight dos Silicon Soul, Motorcycle de Alex Gopher, Caper de Cass & Mangan, The Acid Never Lies do Riot In Belgium, a remistura de Trick & Kubik ao From Disco To Disco dos Whirlpool Productions e a remistura que o Henri fez ao Prick (I Am) dos portugueses M.A.U.(com um sabor a Chicago "circa" 1987/88, com uns pózinhos de EBM pelo meio)...o fim de noite deixei-o para o Henri, onde ele passou uns clássicos de Techno, coisas como Rollin & Scratchin dos Daft Punk, Crispy Bacon de Laurent Garnier ou The Bells do Jeff Mills...ADN muito animado mesmo...eheheh. Pena o Henri não ter mais oportunidades de passar som aqui por Setúbal...

Na sexta foi dia de mais uma estreia...foi a 1ª vez que fui passar som ao Tribux, e gostei, esteve-se muito bem, e a casa também esteve animada. Comecei também numa toada mais Disco, com a remistura de Chicken Lips ao Rudebox do Robbie Williams, tendo depois passado coisas como a remistura de Fabrizio Mammarella ao Piston Fiston dos Piston Fiston, Gary`s Dance de Bakazoo, a remistura de Optimus ao Pluto`s Retreat de Brennan Green, Played Runner de DJ T, e as remisturas deste ao Mayday dos Spektrum e ao After The Tone dos 20/20 Vision Soundsystem, Acid Tablet de I Cube, Tracktion dos 51 Days, as duas versões de The Club de Marc Romboy & Blake Baxter, Mouth To Mouth de Audion, a remistura de Rob Mello ao Secret Base de Radio Slave, Doing The Right Thing de Williams, Fehrrara de Prins Thomas, Eurodans de Todd Terje, Kosmetic de Magnus International, Programmer de Martin Buttrich, Galaktik Files de Spiritcatcher, entre outras coisas. Esteve-se muito bem, e ficou a promessa de lá voltar brevemente. A seguir ainda estive um bocado no ADN, a ouvir o Fernando M, um dos DJs residentes no Incógnito, com uma boa selecção dentro de um Pop/Rock mais alternativo (com umas coisas bem mais Pop pelo meio...), coisas como Táxi, Kim Wilde, Radiohead, David Bowie, Red Hot Chilli Peppers, etc. ADN bastante animado. Pena não ter conseguido lá estar mais tempo...

No sábado fui ao Baco, onde esteve o Miguel Mares a passar som, som esse ilustrado pelo VJIng do João Vida. A noite começou calminha, com um som mais Downtempo, com coisas como os Air, mas depressa se subiu para coisas mais Big Beat, como Freddie Fresh, Space Raiders ou Chemical Brothers. A partir daí o set começou a enveredar mais para cenas mais Electro/Minimal/Maximal com uns apontamentos "rockeiros" pelo meio, coisas como Ross Ross Ross de Sebastian, Erole Attack de Boys Noize, Easy Love de MSTRKRFT, e as remisturas destes ao Woman dos Wolfmother ou Dudun Dun de Para One, a remistura deste a Prime Time Of Your Life dos Daft Punk, Hustler de Simian Mobile Disco, a Soulwax Ravelight Dub ao Lovelight de Robbie Williams, as remisturas de Justice ao Guy Man After All do Daft Punk, ao Skitzo Dancer dos Scenario Rock e ao The Fallen de FRanz Ferdinand, Testify dos Rage Against The Machine, Prototype e Maximize de Rex The Dog, entre outras coisas igualmente dançáveis. Baco completamente ao rubro, com o pessoal a curtir. A noite foi terminada com uma versão toda fodida do Robot Rock dos Daft Punk, com o Miguel a dar uso ao Kaos Pad 2 dele...eheheh. As imagens do João também estiveram ao nível de sempre. Hilariantes tanto aquela imagem dum gajo mascarado de Hitler, a dançar no que me pareceu ser uma cena tipo Notting Hill Carnival (pergunto-me o que aconteceria se alguém que, em pleno Carnaval, se decidice mascarar-se de Hitler...), como aquela em que está um corpo a "investir" contra uma televisão, e a imagem de um homem lá dentro a ressentir-se dessas "investidas"...eheheh. Mais uma grande noite no Baco.

A seguir fomos para o ADN, que estava completamente á pinha (tanto, que os constantes empurrões já estavam a começar a ser incomodativos...eheh). O Zé Pescador é que ás 3 e tal da manhã, com aquilo cheio, estava a passar umas coisitas um pouco calmas demais para o andamento que um gajo já necessita de ter naquela hora (e depois de um set altamente ritmado no Baco...), mas depressa se redimiu e passou umas coisas bastante dançáveis e animadas, como Where`s Your Head At dos Basement Jaxx, Warnig Siren dos Tiefschwarz, Anarchy In The UK dos Sex Pistols, Me And Guillianni Down By THe Schoolyard dos !!!, Just Can`t Get Enough dos Depeche Mode, The Robots dos Kraftwerk, Flashback dos Gods Of Blitz, House Of Jealous Lovers dos Rapture, entre outras coisas. Aparentemente, um dos canos da água também deu de si, o que originou, segundo uns amigos meus, a "festa do chapinhanço"...eheheh. Houve até quem jurasse ter visto uma taínhas a passar por entre o pessoal...eheheh. O que vale é que o pessoal não se chateia com estas coisas, e até acha graça e diverte-se...eheh...é esse o espírito :D. O final foi bom, com Portishead. Se bem que antes o Zé passou um tema de Samba de Enredo...o Zé, estamos perto do Natal, não do Carnaval...eheheh ;P.

E assim se passou mais um fim-de-semana em cheio.

4 comentários:

Anónimo disse...

eu tinha prometido que ia aparecer por lá para te moer o juízo (no bom sentido), até estava preparado para te pedir coisas tipo queen e outras musicas para cota...
mas por motivos de força maior nãp pude aparecer (tinha de me levantar às 6...). aqui fica o meu pedido de desculpas.
mister simon
http.//derterrorist.blogs.sapo.pt

name disse...

Where`s Your Head At dos Chemical Brothers ??? where's your head eduardo?

Electrobot disse...

Já corrigi...obrigado pelo aviso...

De facto, "where was my head at"? (E eu que gosto muito do Rooty...)

Lovedstone disse...

aquelas malhas finais, old school do techno da quinta feira foi do melhor.... muito fixe apesar de ja terem uns aninhos sabem sempre bem ouvir bem alto. o sr laurent garnier tem muito poderrr lol