domingo, junho 25, 2006

Crónicas Nocturnas # 79

Na sexta comecei a noite pelo Baco, onde esteve o Mondim a passar som, com a sua excelente selecção em termos de Dub/Reggae, World Music/Ethnic e Música Latino-Americana de qualidade. Ambiente muito animado, o pessoal bem disposto. E ainda tive oportunidade de matar saudades de um bom jogo de sueca.

A seguir fui ao ADN, onde estava o Rui 31, do Bar 31 do Porto (bar que já recebeu grandes nome internacionais como Lindstrom, Prins Thomas,Carl Craig, entre outros...), em conjunto com o Simões a passar som. ADN á pinha, bastante animado, com o pessoal a reagir bem ás sonoridades passadas, que andavam por entre o Disco, o Punk-Funk, o "Electro", o Minimal, o Detroit Techno, sempre numa toada muito dançável. Ouviram-se coisas como a remistura dos DFA ao Relevee de Gavin Russdom e Delia Gonzalez, You Work You Live To Party dos Think Twice, Good As Gold do Tiga, Throw de Paperclip People (Carl Craig), a remistura de Thin White Duke aka Jacques Lu Cont ao Talk dos Coldplay, a remistura de Marco Passarani ao On The Road Again dos Telex, I Wish You Were Gone de Joakim, Spastik de Plastikman aka Richie Hawtin, entre outras coisas boas que ou não reconheci, ou que de momento não me recordo. Gostei muito.

Saído do ADN, dirigi-me para o Clubíssimo, onde fui ouvir o Pedro Goya a passar som. Devido ao avançado da hora deparei com um Clubíssimo já a meio-gás, mas ainda bastante animado, com o pessoal a aderir bem ás sonoridades mais "Electro", Acid-House e Minimais a serem passadas. Ouvi montes de coisas desconhecidas, só reconheci os temas My Love Is Systematic de Marc Romboy e Billie Jean de Michael Jackson (tema que finalizou a noite...não esquecer que o Pedro Goya é um grande fã do Michael Jackson). Também gostei muito.

No sábado fui ao Baco passar som, que também esteve muito animado, tanto na parte de dentro como na parte de fora. Mais uma vez, o pessoal pareceu aderir bem ás sonoridades por mim passadas. Dado que ao chegar estava a tocar um cd dos Orishás, decidi começar dentro de uma toada mais Hip-Hop, a passar coisas como o Can I Kick It dos A Tribe Called Quest ou Express Yourself dos NWA, passando depois para coisas mais "old-school" como The Adventures Of Grandmaster Flash At The Wheels Of Steel do Grandmaster Flash, o Break Dance Electric Boogie dos West Street Mob, Dirty Talk dos Klein & MBO, I.O.U. dos Freeez, Let The Music Play da Shannon, Walking On Sunshine dos Rockers Revenge ou Get a Little de Patrick Cowley. A seguir comecei a entrar numa onda mais virada para o "Electro", Acid-House e Minimal, coisas comoKnockers de Alden Tyrrel, NUF dos M.A.N.D.Y. , I Need e Impact Disco de Marc Romboy, Drug Queen e Adyra dos Duoteque, Wellcome To Berlin de Kiki & Silversurfer, a remistura de Anthony Rother ao 1982 de Miss Kittin & THe Hacker, In The Night de Ralphi Rosario, a remistura de Playgroup ao I Need Your Love dos Rapture, o Pandullu & Und Mix de Frau de I-Robots, Fast Track de Superdiscount ou a remistura de Superdiscount ao Out The Door dos Who Made Who. Mais uma vez gostei muito de lá ter estado no Baco, e espero que quem lá esteve também tenha gostado, e um muito obrigado a quem lá esteve e apoiou.

Sáido do Baco, fui para o Clubíssimo, onde já apanhei uma pequena fila á porta para entrar. Lá dentro a casa já estava bastante composta, com o Safara já a passar som, com a excelente selecção a que nos tem habituado nos últimos tempos, e a fazer tudo por tudo para pôr o pessoal a dançar. Entretanto encontrei por lá montes de pesoal conhecido, como o Pedro Tiago, o Spider, o Milton, o Raça, a Sukik, o Simões (com quem tive uma conversa bastante interessante),o Mário (que disse que a noite dele lá na Quinta do Conde tinha corrido bem.), entre outro pessoal. Com a casa já completamente á pinha e com o público em delírio total, o Del Costa assume os comandos da cabine, e levou-nos para mais uma viagem musical..."Electro", Minimal, Acid-House, Detroit, alguns clássicos...Ouviram-se coisas como Rykettid de Trentemoller, Change Works de Oxia, Basketball Heroes de Woody McBride, Adyra dos Duoteque, a remistura de Playgroup ao Vive La Differance de Portobella, You`re My Kind dos Elektrochemie, Throw dos Paperclip People aka Carl Craig ou Tone Exploitation de The Nighttripper (aos anos que já não ouvia isto a ser passado em clubes...), Mandarine Girl dos Booka Shade, entre outras coisas que não reconheci ou que já não me recordo. Finalizou-se a noite com o tema Paixão dos Herois Do Mar...e foi um grande final para mais uma grande noite lá no Clubíssimo. Boa-onda, bom ambiente e com o pessoal muito divertido.

3 comentários:

Zye disse...

Amigo Eduardo, mais uma vez parabéns pela belíssima crónica! Para quem não sai, é um aglomerar de sensações descritas em cada crónica.

Próxima paragem: 21h, 100.6FM! :D

Abraço

joão trindade disse...

Realmente tens o dom da escrita, tal como o zye disse! No meu caso que me desloquei ao clubissimo quer na sexta e sabado posso confirmar tudo o que escreveste.
Em relação ao Adn, não tenho parado muito por lá excepto na noite em que lá esteve o del costa , mas, pelo que me parece, o adn está a voltar aos bons velhos tempos :)! Em relação ao clubissimo na sexta, devo dizer que o pedro goya me surpreendeu muito pela positiva, pois so o tinha ouvido enquanto dupla com o del costa. Parti do principio que o goya a solo talvez n funcionasse tão bem como em dupla com o costa...coisa que me enganei. Achei-o muito bom tecnicamente e com uma seleção musical muito boa e "desconhecida", pena a noite ter estado um pouco fraca em relação ao sabado, pois teria sido tambem uma grande festa.
No sabado, la foi a festarola do costume...grande enchente e o del costa fez as delicias do publico para variar! uma noite a repetir concerteza! E eu la de certeza também estarei! hehe :D
abraços
joão

Zye disse...

João, foi com grande pena minha que não pude estar presente na noite do Goya. Acompanho a carreira do Pedro à um tempo e merecia ter apanhado uma casa melhor, com uma enchente digna do Costa. Tanto a nível de selecção como tecnicamente acho-o muito bom, e em constante evolução (minha opinião!!). Mas também era uma noite "complicada" e... infelizmente o nome dele em Setúbal não mexe muito como deveria mexer.

E é verdade, as cronicas do Eduardo são lufadas de ar fresco para quem não saiu, mas que gostava de saber como correu a noite.

Abraço