domingo, março 15, 2009

Crónicas Nocturnas # 128

Na sexta fui ao Clubíssimo, onde fui ouvir o Pedro Tiago, o Alexx Wolfe e o Andy Books...Foi muito porreiro, o som dentro de uma toada mais "Minimal", mas com "groove", e, consequentemente, bastante dançável. Pena foi, tal como na semana passada, quando lá estive a passar música com o Mário João, não ter estado mais gente. Mas o ambiente estava bem porreiro, e quem lá esteve divertiu-se.

No sábado também fui ao Clubíssimo, mas, aí, a história já foi outra. Mais uma noite com o selo Costa aka MaGaZino, desta vez acompanhado pelos Freshkitos e pelo Señor Pelota, e foi festa da grossa. Quando cheguei, a casa estava a compor-se, e já se encontrava o Señor Pelota a passar música. Durante esse período, passou um som variado, tanto se podia ouvir House, como Techno, como cenas mais "discoides". Recordo-me de ouvir a remistura de Discodeine ao Trembler dos Photonz (e que até curtia ouvi-los novamente no Clubíssimo a passar uns discos...eheh), entre outras coisas porreiras.

A seguir entrou o MaGaZino, já com a pista ao rubro, e assim a manteve até ao final da prestação, com sonoridades por entre o House e o Techno. Quem o ouviu, já sabe o casa gasta...sempre a impôr aquele ritmo que não consegue deixar ninguém parado, inclusivé pessoal que normalmente não consome muito esses tipos de sonoridades. A seguir entraram os Freshkitos, que também não fugiram muito ás coordenadas impostas pelo MaGaZino. Gostei sobretudo de ouvir um tema que costumo passar nos meus cada vez mais raros DJ sets de música electrónica, o RJ de Radio Slave, e outro que não sei o que é, mas que tinha uma "pianada" muito "jazzista", e que me pareceu que algum pessoal, assim á primeira, acharam estranho, mas que depois entraram no balanço e no fim do tema já toda a gente dançava freneticamente.

Sairam os Freshkitos de cena, e deram lugar novamente ao Señor Pelota, para que quem deu início á festa, a acabasse. O registo nessa altura começou por ser um bocado mais "technoide", mas conforme a festa se aproximava do fim, começaram a surgir clássicos como Wild Luv de Roach Motel, Flylife dos Basement Jaxx ou So Get Up Dos Underground Sound Of Lisbon, à mistura com coisas mais recentes como Unforgiven de Roland Appel, que até passava na boa por um qualquer obscuro clássico de 1989 ou 1990. O final da festa deu-se com a remistura de DFA ao Tomorrow dos Clinic, a soar bastante a Super Collider (um dos antigos projectos de Jamie Lidell, em conjunto com Cristian Vogel). E assim terminou aquela que, até á data, terá sido uma das melhores noites de 2009 em Setúbal. A extraordinária onda de calor que se sentiu nos últimos tempos poderá ter ajudado (e nunca na vida me recordo de ter usado T-Shirt em Março...), o ambiente estava bastante bom, e foi mais uma daquelas noites para ficar na memória. A ver vamos se o Clubíssimo consegue manter a embalagem, sobretudo agora que tem a oportunidade de tentar chamar público que, assim de repente, poderá ter ficado orfão de algo...

p.s. Próximas festas no Clubíssimo : Trol 2000 e Bruno Safara sexta-feira dia 20, PartySheet vs Drop Top, Kyoshi e 3DU sábado dia 21 e dia 28 mais um Manifesto, com Zentex, Rogério Martins, Pedro Goya e Eyptin Wholi.

5 comentários:

Pedro Monchike disse...

''E assim terminou aquela que, até á data, terá sido uma das melhores noites de 2009 em Setúbal.''

Concordo Eduardo, o pouco tempo que lá estive, ainda deu para nos cruzarmos qndo já estava de saída, deu para ver que o Magazino confirmou td o q me tinha dito naquela mesma tarde em Entrevista ao meu Programa de Rádio, e passo a citar:
''...voltar ao House, fez-me bem...''
Maga ao mais alto nível...venham mais assim.

100smog lda. disse...

;)

o antifa disse...

Contratem mazé o pedro monchike para substituir aquele zé que está nos comandos dos decks no clubissimo

Anónimo disse...

pois é ! O Sr Pedro Monchike vai para o Rs Klub meus amigos.qual clubissimo

Anónimo disse...

Como diz um amigo meu : "Setúbal é mais madrasta que mãe"

hehehehhe