domingo, maio 04, 2008

Festividades...

Por aqui deixo uns "reports" mais ou menos resumidos de festas/eventos/noites onde estive nos últimos meses :

Palmela Beat @ Casa Mãe Rota dos Vinhos, Palmela :

Estive no Palmela Beat, onde ouvi o DJ/Produtor françês Toxic Avenger, e onde ouvi também os Disparo (os Interrupto já não ouvi, pois não consegui chegar a tempo). O ambiente estava porreiro, estavam bastantes pessoas, e a música estava muito porreira...o grande problema foi o som em si, ou seja, a qualidade dele...muito estranho, e soava a uma mistura de som abafado e distorcido...não me lembro de nas duas edições anteriores a que fui o som soar-me tão mal...mas não deixou de haver festa por causa disso. O Toxic Avenger é fortemente influenciado pela onda, digamos assim, mais Maximalista...sempre numa toada a fazer lembrar nomes como Justice, Bloody Beetroots, Boys Noize, MSTRKRFT, Kissy Sell Out, Van She, DIM, etc...foi um "party DJ", que é o que a festa estava a pedir. E depois os Disparo acabaram a festa com o bom som que lhes é habitual...pena os problemas técnicos que limitaram a actuação deles, mas felizmente não se ressentiram muito.


Drum Lesson nº2 @ Clube do Rio :

Mais uma festa com o selo Systembusters, e, para variar, mais uma enchente daquelas. É inegável : o Drum n Bass deve de ser, neste momento, um dos estilos de música electrónica com mais capacidade de atrair malta aqui na zona de Setúbal...e muito público bastante jovem...era engraçado a diferença entre o público que estava na parte de baixo, onde era o "floor" de Drum n Bass, que era maioritariamente muito jovem, e o público do "floor" de cima, onde se passava Electro-House, Minimal e congéneres (até me apetecia dizer Electro e derivados, mas depois vinham aí os fãs do Fratricida chatear-me o juízo...eheh), que era um pouco mais "velho". Tanto num "floor" como noutro a festa foi rija...em baixo ouvi o Sonic Fuse, o Al:x e a Benvinda, com o que de mais actual e futurista se tem feito na onda Drum n Bass (digo eu, que é um estilo a que já prestei um pouco mais de atenção na segunda metade dos idos anos 90, onde nomes como Goldie, LTJ Bukem, Photek, Alex Reece, Omni Trio, etc, eram referência, e que agora ando bastante desfasado...)...foi engraçado ouvir remisturas ou "bootlegs" de Drum n Bass a artistas como Justice ou Daft Punk (são os temas que mais me chamaram a atenção, vá-se lá saber porquê...). No "floor" de cima estiveram a Suki, o Pedro Tiago, o Rendas, o Sardinha e o Pestana a passar o que mais "cutting edge" tem sido feito em estilos como o Minimal ou o Electro-House...e tenho gostado de ver a evolução do Pestana...veio do Rock, passou por uma fase onde passava música mais comercial, e agora deixou-se seduzir por sonoridades mais modernas...fica-lhe bem. E o homem já passa música desde 1979...Mais uma grande festa com o selo Systembusters...fico á espera da próxima...

p.s. O que uma simples manutenção faz...detestava beber imperial no Clube do Rio, porque aquilo parecia mais água do que cerveja, e, como tal, repudiava tudo o que aparecesse com o nome Tagus...na festa bebi imperial a pensar que estava a beber Sagres, e fiquei bastante surpreendido quando me disseram que aquilo era mesmo Tagus...


Mário João & Señor Pelota @ ADN, Setúbal :

Não é por ser meu amigo, mas as noites em que o Mário João vai passar música ao ADN são sempre das mais ansiadas...se calhar por termos gostos musicais muito parecidos, e por sentirmos diversas afinidades em relação a muitas coisas, sei que as noites com ele são sempre sinónimo de boa música e de uma noite muito bem passada. E costuma escolher a dedo os convidados que traz, e desta vez, trouxe o Señor Pelota...e devo de dizer que foi uma boa escolha...entenderam-se os dois bastante bem, foram ecléticos, souberam pôr o pessoal a dançar...enfim, foi o que se esperava, ou seja, uma noite com boa música e muita diversão.


Pedro Tiago @ ADN, Setúbal :

Mais uma vez, e não é por ser também meu amigo, mas é daqueles gajos que me dá sempre gosto ouvir passar música. Dentro da onda mais Tech/Minimal é daqueles que está sempre atento a novidades, e que está constantemente a fartar-se das coisas que já tem, querendo sempre ter o que de mais "cutting-edge" está a ser feito nesse tipo de ondas, e sei que é exactamente isso que se vai passar em qualquer noite onde ele passe música, e dessa vez, no ADN, não foi diferente. Pista bastante composta, com o pesoal a dançar freneticamente ao som que ele passou.


Pedro Viegas @ ADN, Setúbal - Back To The Groove :

Noite bastante boa no ADN, com muito Acid-Jazz, Funk, Breakbeat de teor mais Funky, algum Hip-Hop, etc, a provar a versatilidade do Pedro Viegas...dançou-se bastante, e uma prova que não é necessariamente obrigatório passar música mais "pesada" para se conseguir pôr o pessoal a dançar. No fim o Pedro ainda dexou o Abel passar uns disquitos a meias com ele...eheh.


Lorenz Factor @ ADN, Setúbal :

Noite bastante festiva, esta com os Lorenz Factor. Gostei bastante mais desta do que da anterior...o som nunca esteve exageradamente alto, e foram mais ecléticos do que da outra vez. Logo ao entrar no ADN, sou presenteado com o My Sharona dos The Knack, e, logo aí, a boa disposição que já tinha aumentou substancialmente (é daqueles temas que, inexplicavelmente, ou não, adoro). Depois a toada continuou numa onda mais New-Wave/Post-Punk/Punk-Funk bastante enérgica...Liquid Liquid, ESG, Gang Of Four, Medium Medium, Bush Tetras, The Nerves, The Cars, James Chance & The Contortions, etc...e depois começou a haver misturas no set entre Rock e Electrónica...Justice, AC DC, Metallica, Ramones, Sigue Sigue Sputnik, Generation X, Sex Pistols, Guns n Bombs, Daft Punk, Boys Noize,versões "Electro/Maximal" dos Nirvana e Rage Against The Machine...etc...Muito festivo, o que não surpreende vindo de uns gajos que são do mais "party animal" que conheci nos últimos tempos...


Stereo Addiction @ Clube do Rio, Setúbal :

Quarta-feira que passou, véspera de feriado, fui ouvir os Stereo Addiction (Gustavo e Jon E). Bom som, casa composta (mais do que estava á espera...á frente falarei mais disto), bom ambiente, festivo q.b. . São normalmente associados a uma onda mais Progressive, mas a verdade é que o que ouvi deles soou-me mais a Minimal, ou seja, entre ouvi-los a eles e a um qualquer DJ alemão conotado com a cena Minimal que vá ao Opart, as diferenças não são assim tão substanciais, mas a verdade é que os estilos musicais, sobretudo dentro da música electrónica, estão cada vez mais híbridos, a influenciarem-se mutuamente, e esta sempre foi uma das grandes forças da música de cariz mais electrónico. Voltando ao facto de a casa estar mais composta do que estava á espera, isso é devido a não ter visto publicidade quase nenhuma á festa. Eu, pessoalmente, só soube que este evento ia ocorrer no sábado, quando me deixaram uma dúzia de "flyers" lá no meu estaminé. E acho que devia de ter sido bem mais publicitado...e já nesta sexta vai lá estar, no Clube do Rio, o Kasey Taylor, um bom DJ australiano, também associado ao tipo de som (seja ele qual fôr agora...)que os Stereo Addiction passam...ok, estavam lá "flyers" alusivos ao evento no Clube do Rio...mas porque é que não distribuiram mais "flyers" por outros sítios, como por exemplo no meu estaminé, ou no Bombar, ou no Kaneco, etc, durante o fim-de-semana? O "cachet" do Kasey Taylor não deve de ser assim tão barato...não percebo porque não se publicita mais este evento...em contrapartida, em relação á festa de Tribal House com o Carlos Manaça, etc, há bastante publicidade por aí na rua...e assim é que deve de ser. Como é que se pode esperar que as pessoas apareçam, se elas não sabem que certo e determinado evento vai ocorrer?


Lúcio Monteiro @ ADN, Setúbal :

Sexta que passou fui ao ADN ouvir o Lúcio Monteiro. Quando cheguei, passava um House agradável, daquele que se ouve bem e não incomoda ninguém (por mim, desde que não leve com "mainstream" ou Tribal, tudo bem...). Mas, a partir de certa altura, houve uma viragem no som, que me começou a fazer recordar quando há uns 15 anos ia ao Kremlin (no bom sentido do Kremlin de há 15 anos, claro...). O Abel também estava a curtir, e a recordar-se dessa altura...só faltava mesmo o meu amigo Miguel Marrucho, antigo companheiro de noites no Kremlin...se estiveres a ler isto, um grande abraço, mano africano. Quando fechava os olhos, era levado de volta para esses tempos, onde estilos como o House, o Techno ou o Trance eram completamente "underground", e onde temas desses estilos eram passados indiscriminadamente, na altura não havia cá DJs só de House, de Techno ou de Trance. E comentei com o Abel que estava ali a faltar o sistema de som do Kremlin, onde não se conseguia estar de lado para as colunas, só se podia estar ou de frente ou de costas (sim, que aquele poderio todo até fazia doer os ouvidos, caso caíssemos no erro de nos pormos de lado para as colunas), e o monte de mulheres que se costumava ver habitualmente no Kremlin (bem, vá lá que o ADN nessa noite até estava bem composto de público feminino...). São tempos que nunca mais esquecerei, onde estava tudo muito no início e onde ainda predominava uma certa ingenuidade e inocência, coisa que hoje já não existe. Infelizmente a "nostalgia trip" não durou muito, devido a uma daquelas interrupções súbitas (desta vez, não por culpa da gerência, mas por culpa de uma qualquer entidade "divina")...se bem que uma das vezes que fui ao Kremlin, também a noite acabou mais cedo devido á intervenção de uma qualquer entidade "divina"...portanto, de certa forma, ainda reforçou essa "nostalgia trip", e foi quase como que uma forma de dizer que esses tempos já não voltam mais (e, no fundo, acho que já ninguém quer que eles voltem)...mas, bolas, ás vezes sabe tão bem voltar atrás no tempo...

De resto, tenho ido normalmente aos sábados ao ADN, com o Zé Pescador a solo, ou com a ajuda do Sardinha...e também assisti á estreia do meu amigo Daniel Costa lá no ADN, que não correu mal...pena ter sido na complicada semana da Páscoa...

Deixo-vos aqui também dois links para dois blogs...um portuense que me chamou a atenção, e um outro de um grande amigo aqui de Setúbal :

http://bigodd.blogspot.com

http://shampodecapante.blogspot.com


E deixo-vos aqui também o último set do Rogério Martins (que já era altura de voltar ao ADN...digo eu...)

http://rogeriomartins.mypodcast.com/

1- Popof - Duststorm (Original Mix) - Dimmer
2- Popof - Non Sense (Original Mix) - Dimmer
3- Alland Byallo - Buckets (Original Mix) - Liebe Detail
4- Riva Starr - Bubble (Original Mix) - Dirtybird
5- Andomat 3000 - Vertical Smile (Original Mix) - Cecille
6- Dj Sossa - Jurassik (Davide Squillace Remix) - Vinyl Club
7- Gel Abril - Your Face Is A Mess ( Mark Broom Mix) - Be As One
8- Style Of Eye - Hide (Original Mix) - Dirtybird
9- Milton Jackson - Ghosts In My Machine (Original Mix) - Freerange Records
10- Chaim - Moon (Original Mix) - Bpitch Control
11- Freakx Brothers - Tension (Popof Remix) - Cr2 Records
12- Popof - Chiken Flavour (Original Mix) - Turbo Recordings
13- Popof - Tempered Dance (Original Mix) - Turbo Recordings

4 comentários:

Anónimo disse...

Mais um Grande Set do Sr. Rogério Martins, ainda nao consegui perceber porque nao toca ele mais vezes nesta cidade, enfim...

Anónimo disse...

Associados ao progressive só para quem não os ouve a mais de 2 anos!

Uma Naper disse...

Hei!

Muito obrigado pela referência ao Big Odd .blogspot :)

Em breve deixará de ser reconhecido como sendo "apenas" do Porto.

Abraço.

Uma Naper disse...

Obrigado pela referência ao BIG ODD. :)

Abraços.